A Evolução do Teclado

A origem dos teclados de hoje em dia
veio da invenção da máquina de escrever criada por Christopher Latham
Sholes em setembro de 1867. A máquina de escrever foi patenteada no ano
seguinte. Começou a ser fabricada pela Remington Company em 1877. No
começo do século vinte a máquina de escrever entrou no mundo dos
negócios.

Christopher Latham Sholes

História do teclado

Diversos dispositivos que imprimiam dados alfanuméricos eram usados no começo do século vinte. Fitas de papeis perfurados foram testados usando o telégrafo antes de 1881. O código Morse sonoro foi usado até meados de 1917 quando os circuitos principais, especialmente aqueles que usavam cabos como a API e a UPI foram convertidos para usar impressoras mecânicas. Sistemas de cartões perfurados, que eram usados a muitos anos para controlar máquinas de confeccionar, além disso começaram a criar empregos para as pessoas que guardavam os dados com as máquinas de tabulação.

No século vinte a máquina de teletipo se
uniu com a máquina de escrever, onde resultou em um nova forma de
comunicação telegrafica, em 1930. Inicialmente essas máquinas imprimiam
em uma fita de papel estreita, mas no final dos anos 30 papeis maiores
poderiam ser usados. A tecnologia de cartões perfurados criada em 1881
ajudou a criar a guardar mensagens e depois poderiam ler de novo com um
leitor mecânico.

Sistemas de cartões perfurados similares foram ligados a máquinas de
escrever como teclados, isso facilitava a entrada de dados numéricos.
Desta maneira o sistema de cartão perfurado, junto com as perfuradoras,
eram a base das máquinas de calcular que a IBM estava vendendo a mais de
um milhão de unidades em 1931. Deste modo o que predominou na segunda
guerra foram essas tecnologias.

A segunda grande guerra ajudou na
criação de computadores para quebrar códigos de mensagens criptografadas
de guerra fazendo cálculos realmente rápidos para sua época. Mesmo
antes da guerra algumas companhias como a Bell Laboratories começavam a
trabalhar com computadores. Em setembro de 1940 G.R. Stibitiz demonstrou
o MODEL 1 que utilizava uma entrada de teclado do teletipo. Essa
demonstração foi única porque foi feita através de linhas telefônicas,
algo que não seria repetido por mais de uma década.

Entretanto o próximo marco milionário
foi o desenvolvimento do computador ENIAC em 1946. Esse computador
utilizava um leitor de cartão perfurado que era lido pelo ENIAC. Essa
máquina foi seguida pelo BINAC em 1948 que utilizava um teclado de
máquina de escrever que escrevia dados diretamente nas fitas magnéticas.
A fita era lida pelo ENIAC e os cálculos eram feitos e depois os dados
saiam em uma máquina de escrever eletromecânica. Esses modos de operação
eram conhecidos como modo de grupo, onde as coisas eram feitas uma de
cada vez.

O famoso
ENIAC

Os anos 50 viram o começo da
comercialização do computador. Computadores como o UNIVAC tinham um
teclado que era usado para controlar o console, mas antes eles eram
apenas para calcular números de maneira mais fácil.
A entrada de dados era completa via modo de grupo, predominantemente com
o uso dos cartões perfurados. A saída de dados era feita via linhas de
impressão como uso da máquina de escrever para maior rapidez. O
desenvolvimento comercial das máquinas de escrever eletromecânicas
semelhante a IBM Selectric, contribuiu para a comercialização desses
main frames que eram bem mais “fáceis” de se mexer do que os
computadores antigos como o ENIAC. Esse foi um fator que fez a diferença
para a comercialização dos main frames.

Surgimento do VDT 

Mais tarde o modo de grupo foi
comercializado pelas as universidades como a MIT que começou a
experimentar sistema multi usuários, conhecido como a era de
compartilhar sistemas, onde cada usuário poderia compartilhar
simultaneamente recursos de seus terminais de teletipo. O experimentos
antecederam esses começaram no final dos anos 50. Em 1964, a MIT, Bell
Laboratories e a General Eletric desenvolveram um tipo de sistema
compartilhado chamado de MULTICS. O desenvolvimento dos sistemas
compartilhados criaram uma nova necessidade de se fazer uma interface
melhor do que a atrapalhada interface do velho teletipo. Com isso a
desenvolvimento de vídeo terminais (VDT de vídeo display
terminals)aumentaram cada vez mais no final dos anos 60. O VDT juntou a
capacidade das máquinas de escrever com de se escrever na tela de uma
tv, esses foram os primeiros teclados sem ter que usar a impressão em
algum papel, eles apareciam direto na tela, e assim fazendo o trabalho
muito mais rápido.Mais tarde em 1967 Control Data e Sanders estavam
produzindo VDT’s. Harris estava vendendo eles em 1969,e a Hewlett
Packard (HP) em 1972. Com o desenvolvimento do VDT usado em cooperação
com o compartilhamento entre computadores respresentou uma grande
mudança para a utilização do teclado como um dispositivo de entrada.
Antes do advento do VDT, os teclados usados para acessar teletipos.
Essas máquinas tinham a inerente limitação de velocidade por causa do
mecanismo eletromecânico. O VDT não tinha nenhuma limitação quanto a
isso. Os interruptores ligados nas teclas mandavam impulsos elétricos
diretamente para os computadores, onde não havia envolvimento mecânico
que era sinônimo de lentidão. A única limitação do VDT era a velocidade
com que ela era escrita na tela, que no começo era relativamente lenta
para a capacidade humana de digitar. Mas isso tudo mudará com a
revolução do computador pessoal.

Quase que simultaneamente com a
comercialização do sistema de multi usuário no fim dos anos 60 foi
introduzido os minicomputadores pela companhias como a Data General,
Prime Computer, Hewlett Packard e outras. Esses computadores eram
pequenos e geralmente utilizavam o console de máquina de escrever. Eles
se tornaram mais populares durante os anos 70, onde a interface de
máquina de escrever foi abandonada a favor da tecnologia VDT para essas
pequenas máquinas.

Os anos 70 viram a rápida expansão do
main frame e do sistema de compartilhamento nas universidades e
companhias privadas. Esses sistemas eram utilizados via modo de grupo
para main frames, ou por VDT para sistemas de compartilhamento. No final
dos 70 e começo dos 80 de qualquer modo o uso de cartões perfurados
parou quando a IBM, com o sucesso no comercio dos main frames, trocou
todas as antigas máquinas por main frames. Foi ai que o VDT alcançou o
paradigma do domínio da interface dos computadores.

No final dos anos 70 o uso dos
computadores expandiu significantemente porém ainda continuava sendo as
universidades e grandes empresas que gastavam com essas máquinas
pesadas. A expansão dos mini computadores contudo foi graças a um certo
hobby que alguns universitários tinham de fazer computadores por eles
mesmo. Assim muitos computadores vieram dessa época onde era “fácil”
montar computadores caseiros.

QWERTY

A rápida expansão dos computadores não
ajudou na prevenção das doenças que os teclados causariam nas pessoas
por movimento repetitivo. Quando em 1984 a IBM lançou o PC/AT ele bem
popular e qualquer pessoa conseguia digitar nele, o grande problema foi
esse, quase que uma epidemia de pessoas com problemas nos braços por
movimentos repetitivos

Uma emissão que ainda não havia sido
mencionada era o layout do teclado. A industria de layout de teclados
padrões possuía um monopólio virtual nos computadores. O QWERTY(olhe no
seu teclado e veja essas teclas), é diferente de quando foi criado o
teclado em 1880, o de antigamente era para se usar apenas com dois dedos
e esse novo design é feito para se usar os dez dedos. E com isso os
problemas de movimentos repetitivos pioraram drasticamente.

Outros layouts de teclado existiram. O
mais notável foi um que se chamava Dvorak, esse nome veio de seu
inventor o August Dvorak que era pesquisador ergonomista na universidade
de Washigton. Em 1936 ele analizou a língua inglesa e viu quais eram as
letras mais usadas mais freqüentemente.

Então ele reorganizou as teclas no
teclado na caixa alta deixando as mais usadas em cima, e em baixo ele
colocava as letras mais usadas depois das de cima e por ai vai.
Infelizmente esse layout não pegou, tudo porque ele era menos eficiente
que o outro. O layout QWERTY se tornou de fato o padrão, e ele é o mesmo
que se usava a um século atrás, isto porque os fabricantes não queriam
que os que já sabiam digitar nas máquinas de escrever tivessem que
reaprender a digitar.

Com essa ascensão do teclado no uso com o
VDT surgiram outros dispositivos que ajudariam muito os usuários de
computador. Os dispositivos de ponteiros(dispositivos que selecionasse
alguma localização no VDT), o famoso mouse, inventado em 1968 por
Douglas Engelbart. O mouse não foi o primeiro dispositivo de ponteiro
inventado. Canetas óticas, que usavam um censor de luz para mandar
sinais para o computador e mover o ponteiro.

Com a introdução do Macintosh no meio
dos anos 80 pela Apple, começou a fazer computadores já terem o mouse
como padrão quando adquiridos. O Macintosh foi o primeiro computador
feito em grande escala com recursos gráficos usando o mouse. Antes do
Macintosh os PC IBM usavam linhas de instrução para executar comandos,
com o surgimento do Macintosh o usuário não precisaria mais decorar
linhas de comando para executar os programas, e isto prova que não foi o
Windows o primeiro sistema operacional que usava ponteiros.

E o tempo passou, e ainda temos QWERTY
como o padrão de teclados no mundo. Mas no futuro os computadores não
terão mais teclado, será por reconhecimento de voz, e tudo que se fala
será “digitado” na tela. Enquanto esse tempo não chega teremos os
problemas de movimentos repetitivos por uso dos teclados QWERTY.

2018-12-27T22:20:28+00:00